Caminho trilhado ou o que?

O que você quer ser quando crescer?

 

Desde pequena, sempre foi tímida. 

Ler para toda a sala? Nunca. 

Expor ideias? Longe disso. 

Tirar dúvidas na frente de todos? Jamais. 

Era apenas mais uma garota num mar de crianças. Uma garota que amava futebol e que chegou a sofrer durante anos com isso.

Mas, sempre uma garota determinada. Desde os 11 anos de idade já sabia como gostaria de se expressar. Propagandas. Era aquele tipo de criança que olhava um outdoor e criticava. Propagandas televisivas? Criticava. Mas quando via campanhas inteligentes? Delirava! 

Todos diziam que até se formasse no ensino médio, milhares de cursos lhe encantariam.

Até os 16 anos, quando se formou e muitos da família duvidavam de sua capacidade por toda a sua personalidade de insistir em fazer um curso de comunicação, ela não recuou. Ouvia “você não terá vida, não ganhará dinheiro”, mas sua mente borbulhava ideias e mais ideias.  

Não vamos dizer que eles tinham um pouco de razão, as apresentações em público foram difíceis, e mais difícil ainda foi saber que o seu sonho de ter sua arte exposta genialmente como as que sempre admirou ficava cada vez mais longe. Não se deu bem com as ferramentas de edição de imagem, mas ainda sim queria encontrar seu lugar naquele universo imenso e repleto de oportunidades. Queria ganhar um Cannes, mas o que conseguiu foi um estágio como atendimento. Comunicar-se? Público? Baixa remuneração? (É assim que se começa). Mas ela preferia se expressar através de textos e fotografia. Dificuldades chegaram e se foram, mas a paixão pela propaganda ainda queimava em seu corpo. O que ela faria? 

Amigos desistindo do curso e ela só pensava em encontrar o seu lugar. Então apareceu o primeiro estágio como auxiliar de mídias sociais, produzindo conteúdo. Seus textos não eram os melhores e isso ia frustrando-a cada vez mais, até que descobriu a estratégia dentro do digital, envolvendo números, planejando e aperfeiçoando sua escrita.

Há 3 meses, essa garota começou a realmente se sentir pertencente a um espaço, motivada por desafios, apaixonada por gerar conteúdo, envolver-se com cliente, ser mais flexível, amadurecendo, aprendendo a confiar mais em si e tendo mais liberdade. Era o marketing a saída! Erros? São inevitáveis, mas o que seria de nós e principalmente dessa garota se não houvesse persistência e a vontade a de levantar? 

 

Vamos lá, não importa quantas vezes você “bata cabeça”, contanto que ainda tenha vontade de ser melhor e encontrar o seu lugar. Seu sonho só depende de você e se você ainda está perdido, por favor, não desista. 

 

Por fim, essa garota só tem o que agradecer pra um cara careca de óculos, pela confiança e por sempre dizer “você é a melhor, só basta você acreditar. Vamos crescer juntos, vamos ficar ricos juntos, vamos conquistar o mundo juntos”. E claro, toda a equipe! 

 

Obrigada, Apalma, por ser minha nova casa. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *